Bizarro ‘peixe das trevas’ vive no lugar mais profundo do oceano

Bizarro 'peixe das trevas' vive no lugar mais profundo do oceano


Pode parecer que já conhecemos tudo sobre nosso planeta, mas as profundezas dos oceanos ainda são um local muito, muito desconhecido.

Cientistas afirmam que sabemos mais sobre o Universo e outros planetas do que sobre o fundo de nossos mares onde qualquer exploração é tão complicada quanto uma missão espacial.

Isso acontece por causa da pressão extrema (cerca de 7 toneladas por polegada quadrada – equivale ao peso de um elefante grande sobre seu dedo polegar), onde apenas alguns poucos submarinos especiais conseguem chegar.

E quando chegam, pouco conseguem explorar por causa da escuridão e da pouca autonomia de mergulho já que só a descida e o retorno à superfície podem levar várias horas.

Peixe Pseudoliparis swirei - ‘peixe-caracol Marianas’
Peixe Pseudoliparis swirei – ‘peixe-caracol Marianas’ – FOTO: MACKENZIE GERRINGER – UNIVERSIDADE DE WASHINGTON

Mesmo assim algumas vezes conseguimos ter um vislumbre do que as profundezas escondem, e dessa vez os cientistas conseguiram identificar um peixe muito estranho que é o recordista de profundidadede todos os oceanos.

Pseudoliparis swirei ou ‘peixe-caracol Marianas’ vive nas Fossas Marianas, no Oceano Pacífico, que é o ponto mais profundo dos oceanos de todo o planeta com cerca de 11 mil metros de profundidade.

Ele é transparente e tem uma aparência muito frágil, tanto que é possível até ver seu fígado, mas é um dos animais que mais prosperam nas profundidades extremas, a cerca de 8 mil metros.

Peixe Pseudoliparis swirei - ‘peixe-caracol Marianas’ - Img2

Para viver em locais com tanta pressão ele sofreu diversas adaptações, como por exemplo:

  • Seu corpo não tem bexigas natatórias (como as que os peixes ósseos usam para subir e descer na água) já que ela não funcionariam em águas profundas;
  • Ele possui uma camada de gosma gelatinosa sob a pele que possibilita melhor flutuação e aerodinâmica;
  • Mesmo em nível molecular ele se adaptou, já que os pesquisadores encontraram enzimas muito especiais que fazem seus músculos resistirem a grandes pressões.

Novas pesquisas podem revelar ainda mais detalhes estranhos sobre esse extraordinário animal, o que pode resultar em novas tecnologias e medicamentos que podem mudar nossas vidas.