Curiosidades Mundo Notícias

Enfermeiras ‘esmagam’ com crueldade cabeça de recém-nascido e filmam tudo

Ser médico requer dedicação, sacrifícios e trabalho árduo. Muitas das vezes eles fazem de tudo para curar seus pacientes. Em muitos casos, porém, isso não é bem-sucedido. Eles também falham e isso, em várias situações, resulta na revolsta da família do paciente para com o profissional, mas não é culpa deles. Temos que aceitar que também são seres humanos e algumas doenças estão fora de seu controle.

Eles carregam grandes responsabilidades em seus ombros. Além disso, há diversos momentos de emergência que eles precisam negligenciar tudo e correr direto para o hospital. Neste caso foi totalmente diferente. Na ocasião, três enfermeiras foram demitidas após aparecerem em vídeo esmagando o rosto de um recém-nascido.

Entenda como tudo aconteceu
Um grupo de enfermeiras sauditas que filmaram uma cena alarmante, rindo enquanto esmagavam o rosto de um bebê recém-nascido hospitalizado com uma infecção, foi demitido do hospital.

Conforme informações da imprensa local, os pais do bebê tomaram conhecimento do tratamento chocante das enfermeiras depois que as imagens foram divulgadas na web e compartilhadas em redes sociais. No vídeo mostra com clareza uma das enfermeiras agarrando o bebê pelo pescoço junto a testa e esmagando cruelmente o rosto da criança indefesa. Isso tudo ocorria enquanto as colegas riam de toda a situação.

Incidente ocorreu na Arábia Saudita e as principais autoridades já se manifestaram sobre o caso
Segundo informações, o incidente aconteceu na maternidade de Taif, na Arábia Saudita. Segundo informações de Abdulhadi Al-Rabie, porta-voz da maternidade, foi através das imagens que os suspeitos foram identificados e punidos. “O Sistema de Saúde investigou a fonte do vídeo e conseguiu identificar as enfermeiras que apareceram no vídeo e no hospital onde ocorreu o incidente”, disse Abdulhadi Al-Rabie.

As enfermeiras, que não tiveram suas identidades reveladas, foram imediatamente suspensas depois de serem identificadas. Segundo relatos, suas licenças médicas foram revogadas e estão proibidas de praticar enfermagem em outros departamentos de saúde. O pai do bebê disse à imprensa local que a criança estava no hospital há pelo menos dez dias para tratamento de uma infecção no trato urinário, e ficou chocado quando viu o vídeo ser amplamente compartilhado nas mídias sociais.

Veja o vídeo logo abaixo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *